18–19
Junho
2016

Ação
no
Alemão

Raízes em Movimento
FAU/UFRJ

como chegar

"Formamos um grupo para pensar uma ação específica para o projeto. Essa ação será realizada no morro do Alemão e consiste na qualificação de um terreno com vistas a torná-lo um espaço de lazer capaz de abrigar diversos usos e atender a vontades locais. Com vistas a atuar mais fortemente no debate do espaço público e seus fluxos urbanos, buscamos essa forma potente de desenvolver esta instância de "permanência" num projeto, que, até agora, só tinha explorado as destruições", narra o curador, João Paulo Quintella.

O projeto para o terreno não segue o mesmo modo operante dos outros espaços. Ao invés de convidar um artista para responder com uma ideia a provocação do espaço, o Permanências e Destruições está tomando parte ativa do processo ao ser mais uma mão a mover uma roda já em movimento, no local. Para isso ser possível, foi feita uma parceria com o Raízes em Movimento, instituto formado por pessoas do Alemão, que atua como representação dos moradores. Também é parte dessa equação a FAU-UFRJ, que já desenvolvia uma matéria de urbanização alternativa no local. Professores e alunos têm acompanhado o projeto. Fernando Minto, especialista em métodos construtivos com terra e elementos do próprio solo, sócio do escritório de arquitetura e urbanismo, Matéria Base, e que já participou de várias ações análogas na época do Usina, também é parceiro na empreitada.

Há uma agenda específica para o local e a presença visual do projeto Permanências e Destruições é bastante importante para fortalecer os laços com o espaço e a ideia sobre uso público deste, no imaginário das pessoas. Complementam a ação workshops de terra, tobogã na encosta e outras possíveis ações que estão sendo debatidas com os moradores. Trata-se ainda de um "work in progress". A esfera prática e a esfera sensível das intervenções estão presentes, com ineditismo, nessa ação do projeto.